Páginas

31 março 2010

Onde foram parar meus sentimentos da adolescência?


Hoje, pensando em postar no assunto "minha poesia" fui ler um caderno de poesias que eu fazia quando era adolescente.

Até meus exatos 25 anos, produzi vários textos. Eram dissertações, contos, poesias, muitas palavras que serpenteavam as idéias e formavam lindas e doces frases. Frases de impacto, de incentivo, de desespero, falando de amor, de dor, de saudade, de paixão, de medo, de vontade, sede de viver, loucura, enfim, tudo o que eu sentia de forma intensa e pulsante se transformava em palavras, em desabafos.

Onde é que foram parar estas palavras? Fiquei me perguntando se elas sumiram, esgotaram ou se os sentimentos é que foram se tornando cada vez mais mornos, até que um dia, aos 25 anos quem sabe, eles simplesmente tornaram-se tão previsíveis, que escrevê-los passou a ser algo piegas e repetitivo.

E me pergunto ainda: Melhor aqueles que se acostumam com a vida e com os sentimentos não se surpreendendo mais com as coisas, ficando numa zona confortável e aparentemente segura? Ou aqueles que desejam ardentemente sentir a vida sempre como um adolescente, cheia de surpresas, experimentando todas as novas possibilidades, no entando estando numa zona desconhecida e vulnerável?

Na teoria é fácil escolher, na prática é difícil arriscar. Mas uma coisa é fato, vida morna é um saco!

Galera, desculpem a viagem. Vou voltar a intenção inicial da postagem, segue um poema que escrevi em 1994:

Reencontro

... E um dia, quando o amor for mais que tudo em nossas vidas,
o céu se abrirá e encontrarei você novamente
tão jovem e tão belo como nunca vi antes
Meu Deus, esperei tanto tempo e nada tenho a dizer!
Nada precisa ser dito,
quando bem perto,
no fundo dos meus olhos puderes ver o que sinto
Só então entenderás o verdadeiro sentido da vida.

29 março 2010

Novidades no agility

Agiliteiros de plantão e fãs do Petraki e da Safira,

Fiquei mal logo que recebi a notícia de que eu teria que parar temporariamente com o agility, mas agora, algumas semanas depois, devo confessar que... estou pior ainda!

Conforme o tempo vai passando e eu vou ficando sem atividade física (não só o agility, mas as longas caminhadas com meus cães, danças, escaladas, etc) vou ficando maluca! Parar com tudo tem sido um martírio, bate um desespero e uma "deprê" sem iguais.

Mas bola para frente, nunca fui de me deixar abater e tenho certeza que passarei ilesa por mais essa!

Mas desabafos a parte, o verdadeiro motivo desta postagem é para contar que meus cães já tem novos condutores.

Fomos todos treinar hoje e gostei muito do que vi, ambos, tanto Petraki quanto a Safira, adoraram seus novos condutores e fizeram as pistas numa super boa. E eu também fiquei muito feliz ao vê-los treinando e curtindo!

Estava insegura pensando que poderia não me sentir bem ao vê-los com outras pessoas, talvez me sentisse mais inútil ainda, blá, blá, blá, blá..... mas foi super "sussa". Nenhuma dessas viagens de auto flagelo passou pela minha cabeça e a sensação foi de alegria!

Amar é fazer o outro feliz, logo, ver meus cães felizes por enquanto me basta!

Torçam por nós, agora somos uma grande equipe (2 cães, 2 condutores e eu que continuo fazendo parte do time, mesmo no banco)

Se Deus quiser nos veremos na próxima etapa da CBA.

Minha música - Califórnia (Hubert Laws & Claude Bolling)

Esse é só para quem curte jazz!

Quase um êxtase a maneira como esse flautista desliza pela música e nos leva junto nesta viagem!
Ahhhhh que deliciaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!


27 março 2010

Minha poesia - Amor é fogo que arde sem se ver (Camões)


Amor é fogo que arde sem se ver; 
É ferida que dói e não se sente; 
É um contentamento descontente; 
É dor que desatina sem doer;  
É um não querer mais que bem querer; 
É solitário andar por entre a gente; 
É nunca contentar-se de contente; 
É cuidar que se ganha em se perder;  
É querer estar preso por vontade; 
É servir a quem vence, o vencedor; 
É ter com quem nos mata lealdade.  
Mas como causar pode seu favor 
Nos corações humanos amizade, 
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Letra de um linda música - muuuuuuiiiiito velha

Δεν θα ξαναγαπήσω
Μουσική | Στίχοι - Μανοσ Λοιζος | Λευτέρης Παπαδόπουλος


Το μερτικό μου απ' τη χαρά μού το 'χουν πάρει άλλοι
γιατί είχα χέρια καθαρά και μιά καρδιά μεγάλη ] 2x
Θεέ μου τη δεύτερη φορά που θα 'ρθω για να ζήσω
όσο η καρδιά κι αν λαχταρά δεν θα ξαναγαπήσω
Σαν θαλασσόδαρτο σκαρί, σαν βράχος ρημαγμένος
ήρθα σαν ξένος στη ζωή και ξαναφεύγω ξένος

Tradução: Importante lembrar que os gregos tem um "que" beeeeemmmm dramático. A música é linda!

Não voltarei a amar
Música / Letra: Manós Lizos / Leftéris Papadopoulos
Por ter mãos limpas e um grande coração, me roubaram todas as alegrias
Meu Deus, a segunda vez que eu vier viver, mesmo que meu coração anseie, não amarei mais
Como um velho casco de navio, como uma rocha desgastada,
Vim como um estranho ao mundo e saio dele ainda estranho

26 março 2010

Esterilização gratuita em São Paulo

Olá pessoal, não sei se todos sabem, mas a prefeitura de São Paulo oferece aos munícipes a esterilização (castração) gratuita de seus animais. Funciona da seguinte maneira:


- A pessoa vai ao CCZ (Centro de Controle de Zoonoses de SP, Rua Santa Eulália, 86 - Santana - Tels: 3397-8900 ou 3397-8901) de 2ª a 6ª feira de preferência na parte da manhã;
- Apresenta RG, CPF, comprovante de residência e atestado de vacinação contra a raiva;
- Retira uma senha e ao ser atendido tem agendada a cirurgia para uma clínica veterinária particular conveniada mais próxima de sua residência;
- Não é necessário levar o animal para o agendamento;
- São feitas esterilizações de até 10 (dez) animais por residência.

Espero que a informação seja útil.

25 março 2010

Minha Música - Patricia Marx "Burning Luv"

Hoje o "Minha Música" é da minha amiga irmã, Patricia Marx quebrando tudo!!!!

Curtam.... Uma voz inigualável, deliciosa!


Huhuuuuuu!

Denúncia de Fumaça Preta

Pessoal, para quem mora em SP vai uma dica muito importante. Existe um serviço da CETESB - SP que recebe denúncia de fumaça preta de carros movidos a diesel.

A denúncia pode ser feita por telefone ou e-mail e podemos inclusive receber o retorno da denúncia por e-mail ou correio.

Somente são feitas denúncias de placas do estado de São Paulo, bem como, fumaça preta dentro do estado de São Paulo.

O infrator é notificado a tomar providências e avisado quanto ao valor da multa (1ª multa são R$ 900,00, 2ª multa R$ 1.800,00, 3ª multa R$ 2.700,00) .

Para efetuar a denúncia deve ser informado:
Placa do veículo
Tipo de automóvel
Cor
Local onde foi visto (nome da rua ou avenida e altura)
Dia e hora em que foi visto


DENUNCIEM:

0800 113560

ou pelo site


24 março 2010

Minha poesia - O Vôo (Menotti Del Picchia)

Goza a euforia do vôo do anjo perdido em ti.
Não indagues se nossas estradas, tempo e vento, desabam no abismo.
Que sabes tu sobre o fim?
Se temes que teu mistério seja uma noite, enche-o de estrelas.
Conserva a ilusão de que teu vôo te leva sempre para o mais alto.
E no deslumbramento da ascensão se pressentires que amanhã estarás mudo, esgota, como um pássaro, as canções que tens na garganta.
Canta. Canta para conservar a ilusão de festa e de vitória.
Quem sabe as canções adormeçam as feras que esperam para devorar o pássaro.
Desde que nasceste não és mais do que um vôo no céu.
Rumo do sol?
Que importa a rota?
Voa e canta enquanto resistirem as asas.

23 março 2010

História de uma adoção

Tenho uma história muito linda para contar que começou com uma aluninha, a Maggie, uma SRD muito fofa e super esperta. Fazíamos aulas para corrigir latidos em excesso, necessidades fora do lugar e algumas sapequices básicas. Os proprietários são pessoas bem dedicadas e participavam das aulas com fervor, treinavam a Maggie e com isso conseguimos ótimos resultados.

Quando a Maggie já estava "formada" a proprietária me falou que desejava adotar um novo cãozinho eu então me empolguei, fui atrás e descobri uma moça que havia adotado uma cachorrinha que estava prenhe e teve nada mais nada menos que 9 Filhotes! Minha cliente então ficou super comovida e foi lá conhecer a ninhada..... e daí veio o Rocky! O resto da história vocês vêem no lindo filme que ela fez!

Claudia e família, obrigada por me permitirem fazer parte desta linda história! Vocês são pessoas muito especiais.

22 março 2010

Super criativo

Pessoal, esse cara teve uma grande sacada e fez um vídeo muito hilário. Eu rachei de rir.

Vejam:

Ansiedade de separação

Hoje eu vou falar sobre um problema muito triste que atinge os cães e que muitas vezes é confundido com falta de educação, pirraça, entre muitas outras coisas.

Como sabemos o cão, assim como seus ascendentes lobos, são animais que vivem em grupo e precisam do grupo para que tudo funcione perfeitamente. Lobos, por exemplo, caçam em grupo, pois sozinhos não conseguiriam muitos sucessos em suas empreitadas e morreriam de fome.

Sendo assim, é natural que todo cão sinta-se inseguro ao ficar sozinho, e arrisco dizer que todo cão tem um pouco de ansiedade de separação. Eu não conheço nenhum cão que ao se ver sozinho fica feliz e saltitante.

O problema é que a maioria dos cães hoje vive confinada em nossas casas e todas as coisas legais só acontecem quando estamos presentes, como: brincadeiras, comidas, passeios, agility, etc.

O meu intuito ao postar sobre este assunto é falar um pouco sobre minha experiência em relação a este problema, como diagnosticá-lo e minimizá-lo.

A ansiedade de separação pode ser percebida através do comportamento do animal quando este fica sozinho, ou até, quando fica longe de uma determinada pessoa, afinal, alguns animais desenvolvem ansiedade de separação por um membro específico da família.

Comportamentos comuns quando o cão fica sozinho são:

- Vocalização excessiva (latidos, uivos, grunhidos, choros);

- Sintomas de ansiedade ao perceber que o dono vai sair (cão anda de um lado para o outro, fica muito ofegante, saliva muito, chora; fica se lambendo compulsivamente);

- Arranhadura nas portas;

- Prostração, apatia, inapetência e muitas vezes o cão sequer sai da cama enquanto o dono não volta;

- Atitudes destrutivas (destruição de móveis e objetos da casa);

- Necessidades nos locais inadequados somente quando fica sozinho (inclusive na cama do dono).

Coisas que fazemos que pioram a ansiedade de separação:

- Ficamos sensibilizados quando o cão percebe que vamos sair e começamos a falar com ele num tom de dó e de pesar: Ah, coitadinho, não fique assim, eu já voooolllltooo!

** Assim, passamos a informação de que algo ruim vai mesmo acontecer;

- Fazemos festa quando chegamos. O melhor carinho do dia é dado neste momento. – Oi meu amorrrrr, chegueiiiiii, vem aquiiiii, huhuuuuuu!

** Ou seja, o momento de nossa chegada fica super valorizado e causa maior ansiedade ainda;

- Como o cão costuma destruir tudo, então ao ficar sozinho o deixamos confinado num espaço restrito e sem nada para destruir.

** O cão morre de tédio e nossa saída significa algo terrível, ficar sozinho, confinado e sem nada para fazer;

- Dar aquela bronca quando chegamos e encontramos tudo destruído;

** Mais uma vez aumentamos a ansiedade no momento da nossa chegada.

Algumas dicas para minimizar o problema:

- Não se despedir ao sair e nem fazer festa quando chegamos em casa;

** O momento de saída e chegada tem que ser algo natural e tranqüilo, mesmo que o cão não ache isso, temos que passar esta informação para ele.

- Fazer o treino do “fica” várias vezes e ir tomando cada vez mais distância do animal e sempre voltar para recompensá-lo antes dele ficar ansioso;

** O cão fica mais tranqüilo, sabendo que quando você diz fica, você voltará, mas é importante respeitar o limite de cada cão, para alguns, dizer o fica e simplesmente se levantar já é muito, então respeite o ritmo do seu cão e aumente a distância e o período de permanência gradativamente.

- Dessensibilizar as coisas que indicam nossa saída, por exemplo, colocar o sapato várias vezes e não sair, passar batom várias vezes e não sair, abrir a porta tirar o corpo fora da casa e voltar (fingir que vai sair e não sair);

** Assim conseguimos tirar a ansiedade por antecipação que o cão já tem dentro de nossa rotina diária, ele passa a não considerar mais abrir a porta, por exemplo, sinônimo de sua saída e no momento de sua saída ele ainda estará calmo.

- Enriquecer o ambiente do cão, criar brinquedos principalmente usando comida (o que normalmente um cão com peso controlado não rejeitará) e oferecê-los no momento de nossa saída, como: garrafas pet com buracos e petiscos picados dentro para o cão ficar entretido tirando-os, brinquedos específicos (displays de comidas) tipo Kong, Pulga, etc; espalhar petiscos ou até ração (dependendo do apetite do animal) pela casa ou pela grama, amarrar garrafas pets de 5 litros com petiscos, fazendo buracos na base em locais altos onde o cão só alcance ficando em pé e batendo as patas, e tudo o mais que sua imaginação permitir, pensando sempre na segurança do cão;

** O momento de sua saída representará uma caça ao tesouro e não mais, um tédio, sozinho e sem nada para fazer.

Essas são algumas dicas que aprendi trabalhando com esses peludos na Cão Cidadão.

Vejam também um artigo sobre o assunto por Alexandre Rossi clicando aqui



21 março 2010

Noite grega com quebra de pratos


Como eu já havia falado anteriormente, sou vocalista do Grupo Hellás e estamos com um show marcado para dia 18/04, antes do show o grupo Zorbás (grupo no qual eu dançava e parei por causa do agility) dá uma aula de dança para que todos possam participar depois e quebrarem muitos pratos.

Espero ver rostos amigos, e de fora da colônia grega, pois esta não perde nenhuma festa e com certeza se apresentará em peso.

Ah, o jantar está incluso! Comida grega é claro!

19 março 2010

Afastamento do Agility

Quem me acompanha talvez tenha percebido que minha velocidade em pista, que havia melhorado bastante na CBA do ano passado, foi por água abaixo neste XIBR.

Não foi a toa. Venho sentindo dores fortes no joelho, estralos e uma sensação de que numa dessas corridas meu joelho vai virar para trás. Isso me deixou bastante insegura e tentei me poupar, pressentindo o que estava por vir.

Ao sair das pistas, ouvir várias pessoas me cobrando velocidade doía muito, não me sentia nem de perto, digna de conduzir cães tão potentes como os meus. Me sentia muito mal, com a impressão de que eu não havia me dedicado o suficiente, enfim, crises existenciais.

Muitas vezes pensei em pedir para alguém conduzi-los em meu lugar, mas depois de refletir muito a respeito, entendi que não estou no esporte para ganhar medalhas e sim, para junto com meus cães, superar limites, enfrentar desafios, afinar nossa comunicação e dar a eles um trabalho delicioso.

Amo cães de trabalho, amo o drive deles, a vontade de "servir", a resposta aos estímulos, enfim, cabe exatamente no meu perfil ter cães assim. Se os seres humanos também se dividissem em linhagens eu seria uma humana de trabalho. Quem me conhece sabe que minha maior dificuldade é parar, sou literalmente hiperativa e ligada no 220V.

Durante a 1ª e 2ª etapas do XIBR tive uma piora significativa nos sintomas, sai da DW mancando e resolvi finalmente, depois de muito protelar, ir ao médico.

O primeiro médico foi um especialista em joelho e me deu uma notícia não muito boa:
Condromalácia grau IV (isso significa que praticamente não tenho mais cartilagem no joelho esquerdo, mais precisamente na patela), uma degeneração no menisco medial e um estiramento no ligamento lateral de sei lá o que!

Na verdade conclui que eu estava frita! Obviamente ele me proibiu de continuar praticando agility, me encaminhou para uma artroscopia (pequena cirurgia) e para fisioterapia.

Não aceitei o diagnóstico dele e procurei outro médico, para ouvir exatamente a mesma coisa!

Enfim, é com muita dor que admito meu afastamento (temporário se Deus permitir) do agility. Pelo menos deste XIBR já estou fora, talvez, com muita, mas muita sorte talvez consiga voltar para a CBA deste ano, já que minha consulta com o cirurgião foi marcada somente para Maio.

Agora estou me dedicando a ocupar o tempo ocioso dos meus cães, tenho os levado ao parque com bastante frequência e admito a hipótese, se for positivo para eles, de pedir para alguém conduzi-los enquanto eu me recupero, já tenho até uma pessoa em mente, é uma pessoa que já treina mas ainda não compete. Ainda estou pensando no assunto.

Amigos, tentarei frequentar os campeonatos para poder continuar respirando o agility, mas se meus cães não continuarem competindo não aparecerei com tanta frequência para não deixá-los sozinhos em casa nos dias de folga.

E aos que leem esta postagem, vai uma sugestão: Trabalhem bastante o condicionamento físico para evitar problemas desta natureza.

Um beijo a todos!

17 março 2010

Minha Música - Superstition

Voltando a minha galeria maluca e na verdade super eclética, selecionei uma das músicas S E N S A C I O N A I S do, nada mais nada menos que, Stevie Wonder.

Pelo ano em que a canção foi composta (1972) e pelos modelitos e cortes de cabelo, certamente estamos falando aqui dos anos 70 a época da "black music", na minha opinião, uma época de ouro.

Infelizmente a equalização não está lá estas coisas, mas escolhi este vídeo entre tantos outros da mesma canção, pois no final temos 2 minutos de puro êxtase de uma banda super entrosada e uma das mais "swingadas" que já vi, eles entram em transe e eu também! Quebraram tudo!

E o garotinho dançando ao fundo então, com certeza neste dia ele resolveu ser músico!


15 março 2010

Cookie meu aluno prodígio

Aí galera, para quem não sabe (acho que todos sabem) sou adestradora da Cão Cidadão, e tenho muitos alunos lindos, entre eles o Cookie, um SRD com cara de border misturado com jack russel gigante, ou algo assim!

Enfim, ele é show de bola! Depois de dar minha primeira aula, os donos que são super dedicados e curtem para caramba o cão, fizeram um vídeo e mandaram para o blog do Dr Pet.

Fiquei SUPER orgulhosa e posto aqui para vocês poderem ver meu aluno prodígio! Não é lindo?
Acho que eles deviam praticar agility, o Cookie tem um super drive de cão de trabalho!!!!

14 março 2010

O orgulho da "mamãe"

Foto: Suely Machado



Hoje vou escrever sobre a Safira, a 2ª sheltie da minha vida.

Linda de morrer, com uma carinha de louca e um jeitinho todo tímido e reservado, super concentrada no trabalho, não tira os olhos de mim, super sensível as broncas, ignora o carinho de estranhos, enfim, uma verdadeira sheltie.

Em casa é outra cachorra. Super extrovertida, vive enchendo as paciências do Petraki, fica correndo para lá e para cá, sempre querendo brincar de caça e caçador, fica nos chamando para correr atrás dela e quando vai ao parque adora correr atrás de outros cachorros. Tem essa cara de santa mas é uma "pestinha"

Obrigada ao Hundewelt pelo tesouro que trouxeram para minha vida!

Quero informar aos que não estavam na 3ª e 4ª etapas do Campeonato Brasileiro de Agility, que minha ferinha levou 3 medalhas para casa.

Safira ganhou 1º lugar nas duas etapas e ainda ficou com a medalha de melhor da raça na categoria iniciante mini/midi.

É o orgulho da "mamãe"!

12 março 2010

Homenagem ao Petraki no Grau 2

Depois de 3 suados excelentes zerados (muito suados por minha parte), o Petraki ingressa no Grau 2.

Parabéns Petraki !!

Desculpe todas as vezes que eu te atrapalhei, travei sua pista, esqueci o percurso sem antes te ensinar a ler os números, fiquei para trás impedindo seu voô livre naqueles retões que você tanto ama. Desculpe minha inabilidade natural e também por não ter evoluído como você, em tão pouco tempo.

Mas preciso te dizer uma coisa, isso acontece não só porque tenho minhas limitações, mas acontece principalmente porque eu sou humana e não canina. Tudo comigo demora muito mais, a vida para mim tem outra velocidade.

Tudo bem, sei que você não vai entender isso, não importa.

O que importa mesmo, é você saber que o que sinto quando terminamos uma pista e você se lança no meu colo, é único, especial e intenso. Sinto seu coraçãozinho pulando, e aquele orgulho de ter cumprido mais uma missão, de ter me deixado orgulhosa de você também!

E quando erro numa pista e vejo seu olhar perguntando: E aí!!!!! Vamos!!!!!! Parou por que????? Saiba que me dói profundamente, fico muito triste por ter te deixado na mão!

Sei que isso ainda acontecerá muitas vezes, mas enquanto eu puder, vamos juntos neste jogo! Nós ensinamos um ao outro a amar este esporte, a sentir o coração sair pela boca e o estômago embrulhar quando estamos esperando na pré pista, a nos comunicar de uma maneira só nossa, a nos encorajar e nos sentirmos parceiros!

Preciso muito da sua ajuda e da sua santa paciência e resignação diante de minhas dificuldades, prometo me dedicar mais e tentar fazer jus ao cão maravilhoso que você é!

Obrigada, te amo!!!!

Aqui uma lembrança boa, digo M A R A V I L H O S A. Nossa primeira aula de agility, na pista de areia com a Betina! E olha que o fofinho ele com 4 meses já fazia o fica.



11 março 2010

Olhar penetrante!

Olhem esta foto!!!!!! Pena que eu fiquei com essa cara de cocô amassado e não recolhido.....



O que será que o Cosmo e a Amy estavam olhando? A Amy eu não sei, mas o Cosmo com certeza estava apaixonado.... (hummmm, metida!)

Obrigada Suely pela foto!

E beijos aos companheiros do pódium!

10 março 2010

Sou GREGA

Como muitos já sabem, sou filha de gregos e isso é uma das minhas grandes alegrias.

Ser "grega" tem uma mágica sem explicação, por isso os gregos tem tanto orgulho de seu país, seu povo, sua língua, sua comida, sua música... sua história!

Quero revelar aos que não sabem:
Sou vocalista num grupo de música grega!

Retomamos os trabalhos com uma nova formação chamada: Grupo Hellás http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=14107270034146719910


É algo muito grego mesmo, música, dança, quebra de pratos, enfim.... muita festa.

Aguardem pois teremos show em breve!

08 março 2010

Meus cães - a história

Safira no dia em que chegou em casa


Petraki cabeção no Museu do Ipiranga

Noooosssa, como demorou para eu falar sobre meus cães!!!!!

Eu nunca havia tido cães de raça, meu marido, sensibilizado com meu estado após 3 meses da perda da minha cachorrinha, a Greta uma SRD de 17 anos, tomou a decisão de comprar um cão, e escolheu uma raça que ele achava linda: Pastor de Shetland.

Um belo dia ele me leva a uma residência em Cotia onde havia uma ninhada de pastores de shetland tricolores. Na verdade eu nem queria um cão naquele momento de luto, mas ver aqueles quatro cãezinhos lindos de morrerrrrrrr, foi irresistível! Escolhi com cuidado, para depois levá-lo para casa quando já tivesse 50 dias.

Depois de conhecer o Petraki, conviver com ele, fui mordida pelo mosquito Shelties Aegipt, que transmite uma doença incurável chamada Sheltilite aguda.

Ao iniciar os treinos de agility com aquele bebê maluco, cabeçudo e apaixonado pelas pistas desde a mais tenra idade, desenvolvi um tipo LER, na verdade uma VER (Vício por esforço repetitivo) chamada agilitite crônica, e aí, menos de um ano depois estava lá no Hundewelt escolhendo uma fêmea, a Safira!!!!

Rezo todos os dias para não sair por aí levando Shelties para casa.

Amigos, rezem por mim.

Esse tal estrógeno

Na adolescência eu achava mulher um saco! Achava papo de mulher chato, coisas de mulher chatas e meus melhores amigos eram garotos.

De fato, homens são muito mais práticos e objetivos, conversas masculinas são muito mais engraçadas e divertidas. Preferia passar horas falando besteiras e dando risada a ficar comparando meu guarda roupas com o de outras garotas, ou sonhando com o garoto mais lindo da sala, etc. Sempre tive um lado prático que gritava dentro de mim, sempre preferi perder o amigo a perder a piada.

Mas o tempo é implacável e o estrógeno também! Quando menos me dei conta, lá estava eu preocupada com todas aquelas coisas de menina, e assim fui descobrindo este universo maravilhoso, como:

- Ficar horas aconselhando uma amiga que acaba de se separar, ao invés de ir ao bar encher logo a cara com ela;
- Ajudar um amigo com uma baita diarréia a encontrar um banheiro ou se cobrir caso já tenha sujado as calças, ao invés de me mijar de rir da cara dele;
- Calar diante da derrota do Timão e não aceitar provocações, ao invés de ficar comparando resultados do passado;
- Quando me sentir atraída por alguém, olhar para os olhos, o sorriso, as mãos e não para a bunda;
- Chorar com um comercial de TV ao invés de ficar mudando de canal sempre que entra o comercial;
- Ter pelo menos uma crise de nervos por mês e poder culpar a TPM ao invés de culpar o excesso de trabalho;
- E claro, tratar meus cães como se fossem meus filhos!

Sei que este parece um discurso feminista, mas é só uma forma estereotipada de citar algumas diferenças comuns entre os sexos.

Independente disto, acredito que o ser humano busca uma identidade em tudo o que vivencia, e quando encontramos pessoas que compartilham de sentimentos semelhantes aos nossos, acabamos nos sentindo atraídas por elas.

Ontem na prova de agility tive uma demonstração disto e algumas meninas me ajudaram muito com "dicas de meninas para aplicar numa pista de agility", coisas do tipo, usar top ao invés de sutiã, etc. Coisas simples assim servem para nos lembrar de quem somos e de como nossos universos são diferentes.

Resumindo, quero aqui agradecer as meninas que me ajudaram ontem, e desejar a todas as mulheres que conheço um maravilhoso dia internacional da mulher e que de preferência, cada uma de nós seja surpreendida hoje com algo especial de alguém especial! Nada melhor!

Beijos a todas!

04 março 2010

Treino na véspera

Pessoal, leio os Blogs da galera e fico me achando uma ignorante no agility, lê-los tem me enriquecido muito.
Posto aqui meu treino de hoje com Petraki e com a Safira, e adoraria que vocês malhassem. Pode "meter o pau" mesmo, preciso da experiência de todos para poder melhorar meus erros.
Tenho um ótimo instrutor, cães maravilhosos e me acho muito travada na pista!


Treino Petraki



Treino Safira